ACS USP Student Chapter realiza a oficina “Química em Ação” nas Tardes de Férias do CDCC

Crianças participando da oficina “Química em Ação” do ACS USP Student Chapter nas Tardes de Férias do CDCC. Experimento “Cupcake Químico”. Foto: CDCC USP

Na tarde do dia 25 de julho de 2018, o grupo de extensão ACS USP Student Chapter realizou a oficina “Química em Ação” com crianças de 4 a 9 anos como parte da programação das Tardes de Férias do Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC), USP. O evento contou com a realização de experimentos em uma abordagem acessível ao público infantil, trazendo assuntos como densidade, reações de polimerização, líquido não-newtoniano e reação de decomposição, todas de uma forma divertida e lúdica para que as crianças pudessem desfrutar de um contato com a química.

“Realizar experimentos químicos para crianças foi uma experiência muito gratificante. Elas ainda estão naquela idade em que os fenômenos naturais despertam admiração e, infelizmente, a maioria das pessoas perde esta percepção quando se torna jovem ou adulto”, disse João Emanuel, membro do grupo.

“As crianças já têm em mente a ideia do que faz a profissão de médico, de engenheiro ou de advogado, porque são muito divulgadas em nossa sociedade. Nossa ideia é poder mostrar também o que faz o ‘cientista’ e, quem sabe, motivar desde o início mais pessoas a seguir a profissão de pesquisador no futuro”, disse a Presidente do grupo, Carolina Sotério. “O que me chamou a atenção foi que as crianças são muito curiosas. Elas não têm medo, ou vergonha, de fazer uma pergunta ‘errada’, o que é muito bom” disse João Emanuel.

Criança participando da oficina “Química em Ação” do ACS USP Student Chapter nas Tardes de Férias do CDCC. Experimento “Bexiga que enche sozinha”. Foto: CDCC USP

“O ‘ar’ que está enchendo a bexiga é o hélio?” perguntou um dos participantes, indicando que já conhecia algumas propriedades desse gás nobre e abrindo a oportunidade para que um de nós explicasse que, na verdade, se tratava do mesmo “ar” que nós expiramos, ou seja, o gás carbônico, para grande admiração da pequena.

 

A experiência trouxe à tona como brincar nas ruas, subir em árvores, jogar bola, soltar pipa ou apenas descobrir o planeta por si só não é mais seguro como no passado. Muitas vezes a curiosidade das crianças é frustrada nesse cotidiano intenso de vídeo games, celulares e smart TVs. “Notei o brilho nos olhos dos meninos quando puderam se sujar, misturar os líquidos coloridos e ouvir que eles também podem ser cientistas. Eles realmente estavam felizes e empolgados com todos os experimentos” relatou Tauane Ybarra, Diretora de Projetos e Mídias do grupo.

O grupo de extensão é composto por 16 integrantes, sendo estes alunos de graduação e pós-graduação do Instituto de Química de São Carlos, tendo como Conselheira a professora doutora Salete Linhares Queiroz, do Grupo de Pesquisa em Ensino de Química e atual diretora do CDCC. Como parte da missão da equipe, os estudantes buscam fazer divulgação científica de forma acessível a todas as pessoas, aproximando a universidade e a comunidade.

Por Carolina Sotério, João Emanuel Granato e Tauane Ybarra

 

Notícia cadastrada por Sandra Aparecida Zambon da Silva
O conteúdo da notícia é de inteira responsabilidade do autor.