Pesquisa: Novos filmes híbridos para ajudar no combate à infecção hospitalar

Escherichia coli. Foto: Gerd Altmann/Pixabay CC0

Os professores doutores Hidetake Imasato e Ubirajara Pereira Rodrigues Filho do Grupo de Química de Materiais Híbridos e Inorgânicos (GQMATHI), do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP, visam ao desenvolvimento de novos revestimentos antimicrobianos baseados no efeito do manto ácido e/ou na liberação controlada de prata.

Infecções hospitalares são um problema de saúde pública mundial e têm se tornado ainda mais preocupantes com o aparecimento de bactérias resistentes aos antibióticos. Assim, muitos grupos de pesquisa e empresas ao redor do globo enveredam esforços no sentido da procura de novos materiais e compostos com ação antimicrobiana e em especial com atividade universal com mecanismo de ação abrangente aplicável a todos os patógenos. Dentre os sistemas promissores estão as nanopartículas de prata e sistemas que mimetizam o efeito do manto ácido da pele humana. 

Apesar do fato das nanopartículas de prata serem exploradas como sistemas antimicrobianos há muito tempo, poucos filmes com estas nanopartículas têm mostrado atividade autoesterilizante com baixos teores de prata. Em pesquisa conduzida pela doutora Lidiane Patrícia Gonçalves sob orientação do professor Ubirajara Pereira Rodrigues Filho e das doutoras María Elena Vela e Patricia L. Schilardi durante seu doutorado em Ciências e Engenharias de Materiais no GQMATHI, em colaboração com o Instituto de Investigaciones Fisicoquímicas Teóricas y Aplicadas (INIFTA) em La Plata (Argentina), foram desenvolvidos filmes híbridos orgânicos inorgânicos com nanopartículas de prata usando a tecnologia de têmpera química e geração foto-assistida de nanopartículas com propriedades autoesterilizantes frente às bactérias Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa [1].

Em paralelo, outra linha de trabalho na busca por filmes auto-esterilizantes foi desenvolvida pelo professor doutor Roger H Piva, atualmente trabalhando no Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS) da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), durante o seu pós-doutoramento no grupo, e pela professora doutora Kelen M. F. de Aguiar, durante o doutoramento no GQMATHI. A professora Kelen, atualmente trabalhando na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) em Toledo, desenvolveu junto com o Instituto Fraunhofer (IFAM) em Bremen (Alemanha), filmes de hidroxiuretanas silicônicas obtidos via fixação de CO2 com ácido fosfotungstico que inibiram a formação de biofilmes de E. coli e L. casei, além de apresentarem resultados promissores de biocompatibilidade e baixa citotoxicidade [2].  Já o professor Piva desenvolveu em colaboração com o professor doutor Iran Malavazi, do Departamento de Genética e Evolução da Universidade Federal de São Carlos, uma nova classe de agente antimicrobiano baseado em nanopartículas oblatas de hidrogeno fosfotungstato de césio com amplo espectro de ação contra bactérias gram-positivas, bactérias gram-negativas, fungos leveduriformes e um fungo filamentoso, assim como desenvolveu filmes biocompatíveis para uso em curativos [3,4].

O GQMATHI vem ampliando a sua área de atuação neste sentido e procurando parceiros industriais interessados no desenvolvimento de produtos usando estas tecnologias, assim como colaboradores em diversas áreas do conhecimento. Interessados devem contatar o professor doutor Ubirajara Pereira Rodrigues Filho no e-mail ubirajara@usp.br.

As pesquisas são apoiadas por: Universidade de São Paulo (USP), Instituto de Química de São Carlos (IQSC), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), Instituto de Investigaciones Fisicoquímicas Teóricas y Aplicadas (INIFTA), Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS) e Instituto Fraunhofer (IFAM).

Agradecimentos: projeto CNPq 302185/2017-8 e processos FAPESP 2015/08921-3, 2013/05279-3, 2011/08120-0 e 2016/16098-8.

[1] L.P. Gonçalves et al., Colloids and Surfaces B: Biointerfaces 164 (2018) 144-15
[2] de Aguiar et al, BR PI n. 102015024615-3 A2, 24 set. 2015
[3] Piva, RH et al, Journal of Materials Chemistry B, 2018, 6, 143-152
[4] Piva, RH et al, ACS Applied Materials Interfaces, 2018, 10 (37), 30963-30972

Contato: ubirajara@usp.br
por: GQMATHI-IQSC

Notícia cadastrada por Sandra Aparecida Zambon da Silva
O conteúdo da notícia é de inteira responsabilidade do autor.