Exposição “Laboratório de Química Geral” encerra mostra nesta sexta-feira

Os painéis elaborados por alunos que cursaram a disciplina “Laboratório de Química Geral” ministrada pelo professor doutor Artur de Jesus Motheo, durante o primeiro semestre deste ano, permanecem expostos para visitação até o dia 13 de julho, na biblioteca do Instituto de Química de São Carlos (IQSC). A mostra teve início no dia 05 de julho com a participação dos alunos.

Os projetos apresentados são:

Paraquat: viabilização por meio de parâmetros e determinação do limite de detecção do método
“O Paraquat é um herbicida que possui grande risco toxicológico, sendo associado a altas taxas de mortalidade. É um agrotóxico que tem a função de combater plantas daninhas, podendo causar alterações fisiológicas e morte em animais…. Além disso, leva à contaminação do solo e do meio ambiente”, informam os autores do trabalho: Alessandra Vitti, Allan Nogueira Batista, Guilherme Aparecido Nunes Andrade, Letícia Barboza Precaro e Mylena Novaes Santos. Os alunos foram supervisionados pelo professor doutor Sergio Antonio Spinola Machado no uso de técnicas voltamétricas para o desenvolvimento do projeto.

Célula unitária tipo formato/AR
Os alunos: Ana Paula Glavocic de Almeida Prado, Emanuele Cristina Ometto, Fernanda Pavani Silva e Gustavo Marques Coelho analisaram o desempenho de um eletrocatalisador do tipo M-N-C (Fe-N-CBlack Pearls 1% fen) sob a supervisão do professor doutor Fábio Henrique Barros de Lima.

Análise de superfície do aço 1020 e da liga de alumínio 7075 utilizando revestimento a base de polímero condutor contra corrosão
Após o contato com vários tipos de corrosão, as alunos: Igor Augusto Coetti Magarotto, Isabel Miranda de Santis, Renan Assalim do Canto e Yasmin Belleze Borin Silva utilizaram técnicas de anodização para o desenvolvimento do projeto sob supervisão do professor doutor Artur de Jesus Motheo.

Extração e análise de ácidos húmicos
“O húmus é uma substância que surgiu nos primórdios da Terra…”, nos informam os alunos Felipe Rodrigues, João Ricardo Vicente Filho, Manoel Pedro dos Santos Neto e Pedro Lombardi de Carvalho, que utilizaram técnicas espectroscópicas para análise dos ácidos húmicos e foram supervisionados pelo professor doutor Artur de Jesus Motheo

Nanopartículas metálicas
“O prefixo nano é atribuído a um composto que possui escala na ordem de 10-9 metros.
A finalidade de se estudar compostos na escala a manométrica é de analisar o comportamento das suas partículas, pois as características de um material são diferentes quando estudadas macroscopicamente ou em escala atômica”, é o que nos informam os alunos Cristiane Temporine Moreira, Giovanna Maria Masiero, Giulia Alves dos Santos e Higor Vinicius dos Santos. Sob supervisão do professor doutor Laudemir Carlos Varanda, eles utilizaram análises instrumentais (Uv-vis, FTIR e DRX) para estudar as características de ouro nanoparticulado e comparar com o ouro macroscópico.

Degradação de corantes têxteis por processo Fenton
As alunas Danúbia Esprega Gonçalves, Luana Figueiredo, Marina Alves Silva e Thais Carvalho de Moura estudaram e analisaram a eficiência e aplicabilidade do processo Fenton na degradação de cor e da estrutura molecular dos corantes Azorrubina e RED 33 em diferentes matrizes. O projeto foi supervisionado pelo professor doutor Eduardo Bessa Azevedo.

Endereço: Av. Trabalhador São-carlense, 400 – área 1
Contato – Serviço de Graduação: (16) 3373-9904

Texto e fotos: Sandra Zambon (Comunicação IQSC)

Notícia cadastrada por Sandra Aparecida Zambon da Silva
O conteúdo da notícia é de inteira responsabilidade do autor.